quarta-feira, 20 de fevereiro de 2008

Oikoumene

Quem diz que o protestantismo foi um golpe na unidade cristã certamente está munido de muitos bons argumentos, alguns deles óbvios (o sem-fim de denominações evangélicas que surgem e desaparecem, por exemplo).


O que poucos notam é que existe um esforço, ainda que muitas vezes tímido, das igrejas históricas em reverter este processo. Algo a ser comentado é o Concílio Mundial de Igrejas (WCC). É uma organização que agrega 349 instituições cristãs em 110 países, que somam 560 milhões de fiéis ao redor do globo.


Sediado em Genebra, o WCC anunciou na última terça-feira que terá um novo Secretário Geral em setembro de 2009. O queniano Samuel Kobia – primeiro africano no posto – revelou que não tentará reeleição para o cargo.


Assim, o principal nome para assumir o papel de líder da organização é Mvume Dandala, Bispo da Igreja Metodista da África do Sul. Irônico, o trabalho de maior impacto do Concílio foi justamente na luta contra a Apartheid na década de 80, no país de origem de seu provável novo secretário.


O ecumenismo da maneira como muitas vezes é pensado no Brasil está longe de ser saudável ao cristianismo, mas verdade seja dita: não haverá placa no céu indicando “proibida entrada de fiéis à denominação X”.

Um comentário:

Faculdade Teológica disse...

Parabens muito bom seu comentário!!!!
Abs!
Faculdade Teológica