quinta-feira, 24 de janeiro de 2008

O oxímoro ululante e a síndrome de Golden Compass

Estou muito satisfeito com a repercussão que a simples leitura do nome deste blog tem causado. Recentemente, ele foi alvo de polêmica num grupo de discussões por e-mails. Entre as muitas críticas que este microscópico veículo de comunicação recebeu, as que eu gostei mais estão relacionadas ao ateísmo.

Para alguns, a existência de um “cristão inteligente” seria uma contradição em termos, um paradoxo. Segundo eles, ser cristão e ser inteligente são eventos mutuamente exclusivos, ou seja, duas características que não podem conviver juntas.

A argumentação se segue questionando como pode ser inteligente alguém que crê em algo cuja existência não pode ser provada ou mesmo refutada. Assim, o argüidor reduz o homem (ou o intelecto humano) àquilo que pode ser compreendido ou aceito pela razão. Em outras palavras, se a razão não traz luz ao fato, ele é ignorável.

Desta forma, não faz sentido nem mesmo falar em uma figura tão desprezível quanto um Deus imaterial e invisível.

É um raciocínio interessante, eu devo admitir. Entretanto, recheado de pressupostos. Baseado em premissas que não são, de maneira nenhuma, absolutas. Vejamos:

1 – Parte do princípio que a existência de Deus não pode se comprovada ou refutada pela razão. Esta premissa seria difícil de contradizer se postulasse: a existência de Deus não pode ser comprovada ou refutada pelas ferramentas que a razão dispõe nos dias atuais.

2 – Pressupõe validez ao intelecto humano apenas àquilo que a razão é capaz de trazer luz. Permita-me brincar um pouco. O amor é intangível, invisível, questionável. Será que ele realmente existe? Se a razão é incapaz de dizer, é inócuo crer ou mesmo discutir sobre ele. Conclusão brilhante.

O intuito deste blog não é apologético, ou seja, de defender a existência de Deus. O que motiva a existência deste post é o crescimento recente de um fundamentalismo ateu, cuja perseguição intelectual tem se assemelhado à perseguição de que nós, cristãos, fomos autores em outras épocas.

Essa síndrome de Golden Compass, promovida por Richard Dawkins e outros, está apenas no começo. Respondendo a outros comentários: sim, a Igreja Perseguida existe em todos os lugares. É bíblico. II Tm 3.12

3 comentários:

Lion of Zion disse...

"ser cristão e ser inteligente são eventos mutuamente exclusivos, ou seja, duas características que não podem conviver juntas."

Não concordo e nunca vou concordar, pois entendo que crer é um ato pensado.

P/ ter fé não creio que eu deva me desconectar do meu intelecto.

Fé é a busca da racionalidade entre coisas que não se vê, mas são conscientes e ponderáveis bem diferentes da loucura, emotivação e comoção. E até mesmo alienação.

Mas quem prega a não inteligencia da cristandade prega também as loucuras em nome de Deus e o achismo como revelação espiritual.

Nisso ocasiona-se a morte espiritual de toda uma nação e a fé idiotizante impera.

Assim o cristianismo é morte e agonizante para aqueles que ainda pensam.

Grande Doutor Mestre Jr. disse...

Concordo com o Lion of Zion.

Inteligência é a capacidade que temos de compreender. Quem lê as cartas de Paulo sabe que fé está ligada à compreensão.

Quanto ao Victor, acho que acertou na escolha do nome do blog. Até agora, os assuntos tratados são para gente que pensa.

Saiamos do senso comum!

Fábio Lavezo disse...

Se este post não foi apologético, o q foi então?
Concordo que não podemos tomar atitudes como a da WBC, mas ficar inertes é inadmissível.
Reconheço que este seu post sobre o ateísmo já seja um começo. E que, então, não pare por aí.
Deixo um link para ler e refletir sobre o nosso papel como agentes transformadores na sociedade.
http://www.catholicleague.org/release.php?id=1342
.