terça-feira, 1 de dezembro de 2009

Poema: Maconha Santificada

Talvez o que eu escrevi abaixo escandalize alguém. Peço a estes que se escandalizem com o que merece, de fato, nosso repúdio. O poema é inspirado em artigo do Rev. Digão, publicado no Genizah.

Maconha santificada

Vamos todos nos dopar
Nosso mestre-traficante
Seu nome idolatrar
Se na Graça a gente pisa
Nosso ópio a mente frisa
Sacerdotisa: grana e cobiça
Vamos nos alienar
Porque o ungido do Sinhô
Chegou pra abençoar
Vamos nos amordaçar
Calar, cegar
E o Evangelho achincalhar
Quem precisa de cruz?
Ou de humildade?
Sou filho do Rei
Já ganhei prosperidade
Restitui,
Quero de volta o que é meu
O barato tá passando, adeus!
E finalmente caio em mim
De direito meu: só fogo eterno
Sou mais um indo para o inferno

4 comentários:

Danilo Fernandes disse...

Hilario. Pena que parte dos meus leitores jamais iria entender lhufas e eu ia passar por maconheiro de gizuz se publicasse isto!

kkkk

Weeds disse...

sou fã desse blog brother.

Mobile App Developers disse...

What you're saying is completely true. I know that everybody must say the same thing, but I just think that you put it in a way that everyone can understand. I'm sure you'll reach so many people with what you've got to say.

App Development Bangalore disse...

Good advice. I'll take it into account.